Jovem morreu no lugar do amigo em Mariluz. Alvo dos tiros era outro

joao

João de Souza Soares, de 23 anos, que foi morto com dois tiros de revólver na noite de domingo, 28, em Mariluz, não era o alvo do autor dos disparos, que pretendia atingir outro rapaz que estava conversando com ele na frente da casa. O atirador, inclusive, teria chamado a outra pessoa – identificada como Willian – pelo nome, dizendo: “Você vai morrer” e efetuou quatro disparos, sendo que dois deles atingiram João, um deles transfixando o pescoço e que foi fatal. O amigo não foi atingido.
Willian contou estava com seu filho no colo, conversando com João, em frente a uma residência na Rua Marcelino Medeiros, por volta das 21 horas, quando notou a aproximação de uma motocicleta, com dois indivíduos, sendo que o que estava na garupa sacou de um revólver e foi em sua direção, efetuando os disparos. Ele disse que conseguiu proteger o filho e fugir. João não teve a mesma sorte e foi atingido.
Conforme informações da PM, um dos atiradores teria sido reconhecido por Willian, pelo timbre de voz e também fisicamente e seria uma pessoa que está cumprindo pena no regime semiaberto, com o uso de tornozeleira eletrônica.
João de Souza Soares, que morreu sem ser o alvo dos atiradores, não tinha passagens pela polícia. O crime é investigado pela Delegacia de Polícia de Cruzeiro do Oeste.

Fonte: goionews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *